Idioma Equivalências Métodos de Avaliação Vagas Valor da Bolsa
Inglês

Empreendedorismo;

Instrumentação Analógica;

Tópicos de Engenharia Biomédica;

Sistemas de Informação Médica;

Imagiologia;

Aplicações Avançadas de Instrumentação Biomédica;

Bloco Livre.

Avaliação Contínua

(Exames, trabalhos e projetos)

340€/mês

Beatriz Barrocas

Aluna de Engenharia Biomédica | 4º ano

Entrevista feita no dia 30 de Maio de 2020

Ano de Erasmus: 4º ano (2019)

Localização: A casa onde fiquei alojada encontrei num grupo do facebook, mas houve muita gente que conseguiu vagas em residências na faculdade. A casa ficava muito perto do centro da cidade, a 5 minutos de bicicleta, onde haviam várias lojas, bares, restaurantes e supermercados e era onde eu fazia compras e ficava a 20 minutos de bicicleta da universidade que era um bocadinho mais longe que desejável mas fazia-se super bem!

Equivalências: Eu inscrevi-me em 6 cadeiras mas acabei por só conseguir fazer 4, fiquei com equivalência a Sistemas de Informação Médica, a Instrumentação Analógica, a empreendedorismo e a uma opcional.

Idioma das aulas: As aulas que tive foram todas em inglês, aliás, as aulas de cadeiras de mestrado são sempre dadas em inglês na universidade de Twente, quer a turma tenha alunos internacionais (que nesta faculdade são imensos e de todas as partes do mundo) quer não. 

Método de avaliação: O método de avaliação varia muito de cadeira para cadeira. Eu fiz cadeiras em que a avaliação só dependia de apresentações e/ou projetos e outras que exigiam também exames, testes não penso que sejam muito comuns. Outra coisa importante a mencionar é que, pelo menos na minha experiência, os professores são muito acessíveis e flexíveis, particularmente no que toca a alunos de erasmus.

Reputação: De acordo com o QS World University Rankings deste ano a universidade de Twente está em 186º lugar no ranking global e para o ranking de universidades de engenharia e tecnologia está em 143º lugar.

Vagas: Para a Universidade de Twente estão normalmente disponíveis para biomédica 4 vagas, 2 delas são supostamente de física mas nós também qualificamos para elas.

Área de foco do mestrado: Não houve nenhum em específico. Acho que a maior preocupação é mesmo encontrar cadeiras que possam dar equivalências com as de cá e aproveitar as várias cadeiras opcionais de que dispomos para fazer cadeiras lá que aqui talvez não tenhamos acesso.

Valor da bolsa: Eu diria que a bolsa foi uma grande ajuda sim, pelo menos no meu caso conseguiu cobrir a minha renda mas pouco mais, não chega para tudo e também chega sempre um pouco depois de já termos de estar instalados por isso é importante não estar 100% dependente dela.

Preço do alojamento: Se for possível e se se conseguir vaga numa das várias residências dentro da própria universidade, as rendas nunca ultrapassam muito os 200/250 euros, isto à exceção de uma que é o Camelot em que as rendas ultrapassam os 700 euros. Fora da universidade depende muito mas eu diria que a média nunca ultrapassa os 300/400 euros de renda.

Orçamento mensal em alimentação: Eu acabei por dar prioridade às viagens e às comprinhas por isso descorei um bocado a alimentação. De modo geral nunca gastei mais que 50/60 euros por mês na minha alimentação, que baseei muito em congelados e enlatados. Não é de todo a opção mais saudável mas para 6 mesinhos é o suficiente e assim já deu para viajar um bocadinho mais confortavelmente.

Pontos de interesse: Enschede, ou talvez mais a zona da universidade, tem a grande vantagem, pelo menos na minha opinião, de não ser um sitio muito citadino. No verão vê-se muito cercas com vaquinhas e ovelhas, em certos sítios cavalos. Monumentos ou edifícios dignos de serem visitados não diria que há muitos mas parques, espaços verdes e trilhos é algo que não falta e que sem dúvida valem muito a pena serem explorados.

Acolhimento: Como já referi, Enschede, por causa da universidade, é um sitio onde não faltam estrangeiros de todo o mundo e onde a população é por isso muito aberta e acolhedora do pessoal que vem de fora. Toda a gente, ou a sua grande maioria, sabe falar inglês e estará sempre pronta a oferecer ajuda. Todos os locais, as pessoas holandesas, que conheci fizeram questão de me receber com toda a simpatia e de me falar sobre o seu país e sítios que deveria visitar, curiosidades e também se mostraram muito interessados em saber mais sobre Portugal. O mesmo com todos os estrangeiros que conheci. É sempre mais fácil estabelecer relações com pessoas que tambem estavam em Enschede de erasmus, até por causa do Erasmus Student Network e foi com eles que mais convivi. Apesar de ter feito mais amigos com os estrangeiros do que os holandeses senti-me sempre em casa.

Experiência (outros comentários): Não sei que mais dizer, acho que pelo que tenho dito até agora dá para perceber que adorei a experiência, adorei o sítio, adorei a universidade, adorei as pessoas e repetiria tudo outra vez se fosse possível! Acho que erasmus, em qualquer sítio, é uma experiência incomparável com qualquer outra e que se tiverem essa oportunidade, todos deviam experimentar. Os professores que tive lá apoiaram-me bastante e todos os meus amigos que também estudaram na universidade de Twente tiveram a mesma experiência com professores. As festas estão sempre cheias de pessoas de todo o lado e todas na mesma situação e com os mesmos objetivos e por isso é fácil conversar e estabelecer amizades. Foi-me possível conhecer novas culturas e novos lugares e expandir um pouco os horizontes e levo desta experiência pessoas que nunca vou esquecer. Foi a primeira vez que vivi sem os meus pais e foram poucas as ocasiões em que senti saudades de casa porque sempre me senti confortável e em casa onde estava e adorei tudo o que aprendi e que levo de lá.

Catarina Cardadeiro

Aluna de Engenharia Biomédica | 5º ano

Entrevista feita no dia 20 de Maio de 2020

Ano de Erasmus: 5º ano (2019).

Localização: Estava mesmo numa residência no campus 2 minutos das aulas. Não é fácil arranjar alojamento, vale a pena pesquisar cedo casa porque é difícil.

Equivalências:

  • Aplicações Avançadas de Instrumentação Biomédica
  • Imagiologia
  • Opção II
  • Bloco Livre B

Idioma das aulas: Cadeiras de mestrado todas em ingles. Molecular interactions foi metade em holandes, mas essa parte não precisei de fazer porque já tinha equivalência (Radiação e Radioterapia e Física Nuclear), o professor foi compreensivo ao resolver o problema.

Método de avaliação: Molecular Interactions-exame; Biostatistics – 8 trabalhos; Telemedicine – 1 projeto final, com notas parcias; Tecnology for Health –  vários trabalhos; Introduction to Biometrics- 2 ou 3 trabalhos e projeto final;

Reputação: Boa reputação. Ranking 177 no QS World University Rankings ranked 2016; 153 no Times Higher Education World University Rankings de 2017.

Vagas: 2 Física e 2 Biomédica (foi na vaga de fisica).

Área de foco do mestrado: O mestrado na faculdade tem 4 ramos diferentes mas há a possibilidade de escolher cadeiras de diferentes ramos.

Valor da bolsa: Bolsa de 1700€ (em princípio). O alojamento é caro, o valor da bolsa não chegou para a casa. Em termos de despesas de alimentação, conseguem-se arranjar preços razoáveis.

Preço do alojamento: Em média 400€-450€ por mês. Paguei mais do que a média porque arranjei alojamento relativamente tarde.

Orçamento mensal em alimentação: Não me lembro do valor em concreto, mas foi mais barato do que estava à espera. Mais caro do que em Portugal.

Pontos de interesse: Enschede dá para ver em 2 dias mas tem muito para fazer, vida da cidade é muito ativa.

Acolhimento: Gostei bastante, conheci poucos holandeses mas muitos estudantes internacionais. Gostei muito dos professores. Imensas atividades para alunos estrangeiros, apoio a estudantes em mobilidade é excelente.

Experiência (outros comentários): Adorei a faculdade e o ambiente: toda a gente fala inglês; no campus há muitas opções de desporto, ótimas instalações, o campus é recente. Aconselho a faculdade a uma pessoa que goste de desporto. É muito importante saber andar de bicicleta “as primeiras coisas a fazer ao chegar é arranjar casa e bicicleta” quase não usei transportes publicos, 15 minutos de uma ponta à outra da cidade em bicicleta.

André Pinto

Aluno de Engenharia Biomédica | 5º ano

Entrevista feita no dia 31 de Maio de 2020

Ano de Erasmus: 4º ano (2018).

Localização: A UT fica numa cidade chamada Enschede que é no nordeste da Holanda e é uma cidade pequena e portanto não tem a atividade de lisboa por exemplo. A faculdade em si fica num campus nos arredores da cidade no meio de um bosque o que é na verdade muito fixe. É relativamente fácil arranjar um quarto na cidade e de bicicleta fica no max 15 min até à faculdade.

Equivalências:

  • Opcional I
  • Opcional II
  • Empreendedorismo
  • Instrumentação Analógica
  • Tópicos de Engenharia Biomédica
  • Bloco Livre

Idioma das Aulas: Inglês.

Método de Avaliação: É avaliação contínua. As notas são de 0-10 lá, o que torna a equivalência para cá um pouco injusta. Porque um 8 lá é convertido para 15 (arredondam para baixo) o que não é nada descritivo da exigência lá. Ter um 8 lá corresponde a um 17/18 cá em termos de dificuldade.

Reputação: Boa reputação.

Vagas: 4 (2 de Biomédica e 2 de Física).

Área de foco do mestrado: Não senti que existisse um foco em particular.

Valor da Bolsa: 285€/mês.

Preço do Alojamento: 500€/mês (mas consegues mais barato).

Orçamento mensal em alimentação: 200 €/mês.

Pontos de interesse: Em Enschede diria o centro da cidade, principalmente o Oude Markt. Depois na Holanda aconselho Groningen, Rotterdam e Den Haag.

Acolhimento: No primeiro semestre existe uma semana de acolhimento chamada “Welcome Days” que é muito fixe, no final de Agosto e que tem atividades para conhecer pessoal.

Experiência (outros comentários): A Faculdade tem imensas atividades que os estudantes se podem juntar (mais que a fct) de todos os géneros e tem infraestruturas brutais do ponto de vista desportivo e científico. Eu gostei bastante, mas não recomendo para quem quiser ir só “chillar” porque é bastante exigente.