Idioma Equivalências Métodos de Avaliação Vagas Valor da Bolsa
Inglês

Tópicos de Engenharia Biomédica, Opção II / Technologies for Regenerative Medicine

Radiação e Radioterapia / Medical Applications of Radiation Fields

Sistemas de Informação Médica / ICT for Healthcare

Opção I / Clinical Technology Assessment

Exame final e trabalhos de grupo ou avaliação contínua

6
340€/mês

Marta Patrocínio

Aluna de Engenharia Biomédica | 4º ano

Entrevista feita no dia 11 de Maio de 2020

Ano de Erasmus: 1º semestre, 4ºano (2019)

Localização: A minha casa ficava na zona de Lambrate, a 5 minutos a pé de 2 supermercados, a 2 minutos a pé de inúmeros autocarros, de uma estação de metro e de comboios. Do campus Leonardo (onde tinha todas as aulas, à exceção de uma – 1 vez por semana) ficava a cerca de 15 minutos a pé, dependendo do edifício para o qual me destinava. Recomendo esta localização. 

Equivalências: 

  • Tópicos de Engenharia Biomédica, Opção II / Technologies for Regenerative Medicine
  • Radiação e Radioterapia / Medical Applications of Radiation Fields
  • Sistemas de Informação Médica / ICT for Healthcare
  • Opção I / Clinical Technology Assessment

Idioma das aulas: As aulas foram todas lecionadas em Inglês.

Método de avaliação: A maioria das cadeiras foram avaliadas por um exame final escrito ou oral. Relativamente à cadeira Clinical Technology Assessment que deu equivalência à Opção I foi avaliada da seguinte forma: Exame final oral (70%) + Trabalho de Grupo (30%). 

Reputação: Sei apenas que, segundo o QS Global World Ranking, o Politecnico di Milano ocupa o lugar #149, enquanto a NOVA se encontra no #421. É uma diferença muito significativa.

Vagas: Havia no total 6 vagas para o Departamento de Física, duas das quais partilhadas com Engenharia Física, podendo ser usadas por nós e/ou por eles.

Área de foco do mestrado: Tive cadeiras de vários perfis de mestrado diferentes.

Valor da bolsa: O valor da bolsa acabou por ser uma ajuda quase simbólica para os gastos inerentes à vida numa cidade europeia como Milão. Somando tudo, cobriu aproximadamente o equivalente a gastos de 2 meses, sendo que fiquei lá 5 torna-se baixo o seu valor.

Preço alojamento: Quanto ao alojamento, pagava 500 euros por mês com todas as despesas incluídas. Tinha um quarto e casa de banho só para mim. O preço para estas condições, em Milão, é fantástico.

Orçamento mensal em alimentação: Gastava cerca de 200/300 euros por mês em alimentação e com passe de transportes.

Pontos de interesse: Milão é uma cidade que se torna pequena depois de se viver lá algum tempo. Conhece-se bem relativamente rápido. O melhor de Milão enquanto cidade, para mim, foi a localização e claro, a impressionante catedral Duomo. Milão fica no norte de Itália, perto do Lago de Como e do Lago Maggiore, ambos com paisagens e trilhos lindíssimos, de cortar a respiração – sobretudo num dia de sol de inverno, onde as montanhas estão cobertas de neve e a paisagem se torna tão nítida como numa fotografia de postal.

Acolhimento: Eu vivi em casa de uma senhora de 50 anos, italiana de gema. Acolheu-me muito bem e até me ofereceu um presente de Natal e de despedida feitos por ela! Ensinou-me muitas palavras em italiano, visto que não falava inglês, o que às vezes dificultava a nossa comunicação, mas também tornava tudo mais engraçado! 

Quanto aos meus colegas italianos, nunca senti grande empatia. Se perguntasse algo respondiam-me, mas nunca houve, por exemplo, um convite para uma atividade fora das aulas. Mas o que faltava de empatia aos italianos, tinham os outros estudantes de erasmus na mesma situação que eu! Por isso as amizades que fiz acabaram por ser com pessoas de outros países (como Alemanha, Estónia, Colômbia, México), não com pessoas de Itália.

 

Experiência (outros comentários): Quanto à faculdade e às aulas, considerei o ensino bastante, quase somente, teórico, o que foi um aspeto que me desapontou um pouco enquanto aluna de Engenharia. Mas bom, levo desta experiência os inúmeros “aperitivos” (lanches ajantarados em género buffet que se praticam em Itália, para encontros com amigos ou até para reuniões de trabalho mais informais ao final da tarde); as paisagens dignas de fotografia de postal das montanhas e dos lagos; as viagens de 1 dia para conhecer novas cidades de Itália quase todos os fins de semana, essencialmente com uma amiga da Estónia que conheci lá; levo a vez em que a minha senhoria com quem vivia tentou pôr as legendas da TV em português para eu poder acompanhar a telenovela com ela;  levo todos os brindes feitos em várias línguas e todas as vezes em que ensinei uma palavra em português e me ri do sotaque terrível com que os meus amigos daqueles tempos a reproduziam (e vice-versa)! E até mesmo… o desesperante tempo de espera na fila para entrar na biblioteca às 8h da manhã em época de exames (Sim, fila! Sim, às 8h da manhã!). Tudo me marcou. 

Luís Leston

Aluno de Engenharia Biomédica | 4º ano

Entrevista feita no dia 31 de Maio de 2020

Ano de Erasmus: 4ºano (2019)

Localização: Não foi fácil, em Milão o alojamento é caro. Aconselho tentar arranjar o mais cedo possível e ter cuidado com a maneira como se procura, uma vez que houve vítimas de burla (no site spotahome.com, que é verificado). 
Havia residências universitárias, mas as vagas abriram durante 2-3 minutos e dão prioridade aos estudantes locais.

Equivalências: Fiz 4 cadeiras, duas de 10 e duas de 5 créditos. 

  • Tópicos de Engenharia Biomédica
  • Radiação e Radioterapia
  • Sistemas de Informação Médica
  • Opcional
  • Bloco livre de 5º ano

Idioma das aulas: As aulas foram todas lecionadas em inglês, porém há cadeiras que se podem fazer que são em italiano.

Método de avaliação: Três cadeiras foram avaliadas por um exame final mas uma foi por avaliação contínua com dois testes.

Vagas: 6 vagas no total. 

Área de foco do mestrado: Há grande diversidade de escolha e pode-se fazer cadeiras que não são de biomédica.

Valor da bolsa: 330€ por mês.

Preço alojamento: O alojamento em Milão é caro. Com quarto partilhado paguei 400€ por mês.

Orçamento mensal em alimentação: Comparativamente a Portugal é mais caro mas há sempre opções mais acessíveis.

Pontos de interesse: Milão está no centro da Europa, portanto é relativamente fácil fazer viagens a países vizinhos, a flixbus e a ryanair têm preços baratos.

Acolhimento: Os professores são simpáticos, no entanto, não achei que tivesse sido bem acolhido pelos italianos. A pessoa que me calhou no programa Erasmus buddies desinteressou-se depois de algum tempo.

Experiência (outros comentários): Os locais não falam inglês, portanto nos serviços da cidade é provável que se tenha de falar italiano, o que pode ser bom porque obriga a aprender a língua. É aconselhável que haja alguma preparação para a língua, mesmo em aplicações para esse efeito. É uma cidade que facilita muito as viagens, que são bastante baratas para grande parte da Europa. A cidade tem um passe de acesso a vários transportes públicos de 20€.